Governo autoriza concurso para a Polícia Civil

27

São 173 vagas para diversas áreas. As vagas atenderão a Grande Vitória e o interior do estado.

Foto: Assessoria do governo.

O governador Paulo Hartung autorizou, na manhã desta quarta-feira (31), a realização de novo concurso público para a Polícia Civil (PC). Ao todo, serão oferecidas 173 vagas. A assinatura do termo aconteceu durante coletiva de imprensa no gabinete do Palácio Anchieta, em Vitória, e contou com a presença dos secretários de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp), André Garcia, e de Gestão e Recursos Humanos (Seger), Dayse Lemos, e do chefe da PC, Delegado Guilherme Daré de Lima.

As vagas serão distribuídas entre sete cargos: Escrivão de Polícia (20), Perito Oficial Criminal (50), Psicólogo (04), Médico Legista (15), Auxiliar de Perícia Médico legal (20), Investigador de Polícia (60) e Assistente Social (04). O salário inicial do cargo de auxiliar será de R$ 3.449,60 e o dos demais, R$ 4.860,80. Todas as oportunidades são para nível superior.

Em sua fala, o governador Paulo Hartung destacou a importância da ação: “Estamos anunciando concurso para uma instituição que é parte do nosso esforço na quebra do ciclo vicioso da impunidade. Por meio da Polícia Civil temos a boa investigação e a elucidação dos episódios criminosos. Com o reforço da equipe, conseguiremos reduzir e combater essa prática na sociedade”.

O secretário da Sesp, André Garcia, destacou que as vagas do concurso atenderão aos municípios da Grande Vitória e do interior do Estado: “São 173 vagas para diversos cargos que darão fôlego à Polícia Civil. Os aprovados se juntarão aos 74 novos policiais nomeados no ano passado, que estão em fase final de formação na Acadepol. Esses profissionais vão atender às necessidades na Grande Vitória e no interior. Em até 30 dias a PC vai concluir a contratação da empresa responsável pela aplicação das provas e, a partir daí, o edital será lançado”, explicou o secretário.

O chefe da Polícia Civil, Guilherme Daré, ressaltou a importância do reforço no efetivo. “A recomposição do efetivo policial é uma necessidade que está sendo atendida de forma prudente pelo Governo do Estado. A Polícia Civil é feita por pessoas. Por isso, para apresentarmos bons índices de resolutividade de crimes e atender bem o cidadão capixaba é fundamental ter um efetivo suficiente. Esse investimento em pessoal vai contribuir para que possamos, mais ainda, ser uma polícia eficaz e disponível para atender o cidadão do Espírito Santo”, concluiu.

Com informações da assessoria de comunicação do governo.

Direto da redação: Rafael Ribeiro.