Vitória retoma aulas sem revezamento de estudantes

Vitória retoma aulas sem revezamento de estudantes
Foto: Prefeitura de Vitória

O fim do revezamento nas aulas presenciais da rede municipal de Vitória já tem datas para ocorrer. Na próxima quarta-feira (13), os 2.051 estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA) já retornam às salas de aula sem revezamento.

Na segunda-feira (18), será a vez dos 26.255 estudantes do Ensino Fundamental (1º ao 9º ano) e das 13.387 crianças matriculadas nos grupos 3, 4, 5 e 6 da Educação Infantil passarem a frequentar as escolas sem revezamento.

Veja como fica o retorno sem revezamento
  • 13 de outubro: 1º e 2º segmento da Educação de Jovens e Adultos (EJA)
  • 18 de outubro: 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental; grupos 3, 4, 5 e 6 da Educação Infantil

“Durante todo esse ano, desde que retornamos de forma presencial com as aulas na rede de ensino de Vitória, a escola se mostrou um ambiente seguro. As crianças, os estudantes e os profissionais já sabem que é preciso usar a máscara, que é preciso fazer a higienização das mãos. Agora, temos que intensificar o autocuidado”, destacou a secretária de Educação de Vitória, Juliana Rohsner.

Retorno não obrigatório

O retorno de crianças e estudantes para as salas de aula, em Vitória, não será obrigatório. As famílias ainda poderão optar se enviam ou não seus filhos à escola. Atualmente, a adesão ao ensino presencial já é de 90% na capital.

As crianças e estudantes que permanecerem em casa, por opção ou necessidade das famílias devido a alguma comorbidade, serão atendidos pelo ensino remoto emergencial pela plataforma AprendeVix e outros recursos tecnológicos utilizados pelas unidades de ensino ou ainda pelos roteiros de estudo impressos, que devem ser retirados pelas famílias, de acordo com a organização de cada escola.

Educação Infantil

O retorno dos grupos 1 e 2 da Educação Infantil, que tem 2.621 crianças matriculadas, ainda está em planejamento pela Secretaria de Educação de Vitória. Esse grupo, que compreende crianças de 6 meses a 2 anos, depende dos profissionais para manter a higiene e para a alimentação, demandando muito contato físico.

“Neste momento, nosso foco é organizar a retomada do ensino presencial para 41.694 crianças e estudantes sem revezamento, lembrando que ainda estamos num contexto de pandemia. É um momento de cautela. Na Educação Infantil, estamos trabalhando com a perspectiva de que cada turma é um universo e que as turmas não podem se misturar. É um novo contexto para as escolas, que precisam de todo nosso apoio”, afirmou a secretária.

O que muda nos protocolos

O uso correto de máscara e a higienização das mãos permanecem como protocolo básico no ambiente escolar.

“Importante ressaltar que as portarias que organizavam os protocolos para educação foram publicadas em agosto de 2020, Vitória vivia outro contexto pandêmico. De lá para cá, avançamos muito na vacinação, aprendemos sobre a forma de contaminação e, em especial, de proteção. Precisamos de um compromisso coletivo, nesse momento de fim do revezamento, é intensificar o autocuidado, usar a máscara corretamente e manter o hábito de higienizar as mãos ou lavando ou com o álcool em gel”, reforçou a secretária Juliana Rohsner.

  • Distanciamento físico e adequação dos espaços

A rede municipal de Vitória retornará ao atendimento da sua capacidade de matrícula, conforme estabelecido na Resolução Comev nº 07/2008, com o distanciamento de 1,5 m² por criança na Educação Infantil e de 1,2 m² por estudantes. Permanece suspensa a utilização de salas ambientes.

Horário de recreio e alimentação escolar
Para o atendimento integral das crianças e estudantes nos espaços destinados à distribuição e consumo de alimento, as unidades de ensino deverão realizar a instalação de barreiras de acrílicos nas mesas dos refeitórios, de modo que todos os espaços possam voltar a ser utilizados.

Fica suspenso o escalonamento de horário de recreio para cada turma, mas é recomendado para as Escolas Municipais de Ensino Fundamental que ofertam anos iniciais (1º ao 5º ano) e finais (6º ao 9º ano) no mesmo turno, a organização de dois recreios para que essas etapas não estejam juntas em um único tempo.

  • Acesso e permanência nas unidades de ensino

Para melhor fluidez na entrada das crianças e estudantes em cada turno, a realização da aferição de temperatura será feita por amostragem, para que se evite aglomerações e seja assegurado o distanciamento físico.

Dessa forma, fica suspenso o escalonamento de entrada e saída das crianças e estudantes por turma, sendo recomendado que a unidade de ensino que dispõe de dois portões de acesso realize um fluxo de entrada e saída por esses dois acessos.

Cada Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) terá autonomia quanto à definição da entrada ou não dos familiares para buscar as crianças em suas respectivas salas de aula. É necessário avaliar se o espaço físico e de circulação do Cmei possibilita o fluxo de pessoas com distanciamento físico e sem aglomerações.

Vale ressaltar que não deve ser permitida a permanência dos familiares no interior dos Cmei durante os horários de entrada e saídas das crianças, bem como a utilização dos espaços coletivos nesses momentos.

  • Compartilhamento de brinquedos e outros materiais

Fica autorizado o uso compartilhado de brinquedos e outros materiais dentro de uma mesma turma, desde que os profissionais das unidades de ensino monitorem constantemente a utilização de máscaras de proteção individual, por parte das crianças e estudantes, e os orientem a realizar a higienização correta das mãos logo após o uso do objeto.

  • Utilização de espaços coletivos

Fica autorizado o uso de laboratórios, auditórios, quadras e parquinhos nas unidades de ensino, desde que seja respeitado o distanciamento físico, bem como o monitoramento constante da utilização de máscaras de proteção individual de forma correta, cobrindo completamente o nariz e a boca.

Para a utilização da biblioteca não houve alteração de procedimento, ou seja, pode uma turma de cada vez, mantendo o distanciamento, e os livros precisam ser higienizados após o manuseio pelos estudantes.

  • Atividades esportivas coletivas

Ficam autorizadas as práticas coletivas nas unidades de ensino da rede municipal de Vitória, desde que sejam priorizadas atividades que não incorram em grande esforço físico, mantendo-se assim a utilização de máscaras de proteção individual durante as aulas de Educação Física.

Com informações da Prefeitura de Vitória.